Mértola lança a «Bio Live Cam», janela aberta para a biodiversidade

Qualquer pessoa com um dispositivo conectado à internet pode assistir às transmissões ao vivo dos habitats e comportamentos das espécies

Lince-ibérico a saltar para caçar coelho – imagem da Bio Live Cam de Mértola

O Município de Mértola acaba de lançar um projeto «pioneiro para observação da vida selvagem» do seu concelho, através de câmaras de vídeo de alta-definição. com imagens disponíveis em tempo real.

O projeto foi desenvolvido «internamente» nos últimos 11 meses, com os recursos e técnicos desta Câmara Municipal do Baixo Alentejo.

Trata-se, segundo a autarquia, de um projeto «inovador na área da cinegética e biodiversidade, que promete transformar a maneira como observamos e entendemos a vida selvagem».

Equipado com câmaras de alta-definição, o Mértola Bio Live Cam transmite imagens da vida selvagem 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Atualmente, há três câmaras ativas, nos parques nº1 e nº2 do Projeto de Recuperação da Lebre-ibérica e Coelho-bravo, bem como na charca dentro do Centro Cinegético na Zona de Caça Municipal de Mértola.

Segundo o Município, «em breve, mais duas câmaras serão ativadas».

A médio e longo prazo, o projeto será expandido para incluir novas localizações estratégicas, como áreas de cervídeos, cevadouro de javalis, comedouro de pombos-torcazes, parque de criação de lebre-ibérica, barragem com patos selvagens e outras aves aquáticas, ninhos de Peneireiro-das-torres e águia-imperial-ibérica e locais de passagem de linces.

 

 

«Este projeto é uma iniciativa única promovida por uma autarquia, com múltiplos objetivos ambiciosos e benéficos para a biodiversidade e a comunidade científica», acrescenta.

Entre os benefícios e objetivos do projeto «Bio Live Cam», o Município de Mértola destaca a possibilidade de «demonstrar os benefícios da Gestão Cinegética». É que, «através de imagens em tempo real, o projeto evidencia as consequências positivas que uma gestão cinegética bem estruturada pode trazer à biodiversidade».

Poderá ainda «oferecer experiências únicas», já que «proporciona a todos os amantes da natureza a oportunidade de observar os comportamentos de diversas espécies em seu habitat natural».

Será também uma «ferramenta de monitorização», que «serve como um recurso valioso para biólogos, ecologistas, técnicos florestais, gestores cinegéticos e investigadores, facilitando o estudo de várias espécies».

O projeto será igualmente uma forma de «promoção do Território», uma vez que «as câmaras capturam e divulgam a extraordinária biodiversidade de Mértola, promovendo o município e as suas riquezas naturais».

 

 

A «Bio Live Cam» permite também fazer o acompanhamento do Projeto PRLIC, ao permitir «à comunidade acompanhar de perto o desenvolvimento deste importante Projeto de Recuperação da Lebre-ibérica e Coelho-bravo».

Por outro lado, irá possibilitar o «registo de espécies não cinegéticas», tendo em conta que as câmaras irão documentar «diversas espécies alimentadas por caçadores, contribuindo para um banco de dados amplo e diversificado».

O projeto espera captar imagens de uma vasta gama de espécies, incluindo veados, gamos, javalis, coelhos-bravos, lebres-ibéricas, raposas, texugos, linces-ibéricos, várias aves de rapina e aves aquáticas migratórias, além de uma diversidade de avifauna residente.

Qualquer pessoa com um dispositivo conectado à internet pode assistir às transmissões ao vivo dos habitats e comportamentos das espécies. As imagens podem ser acedidas através do website do projeto, clicando aqui, ou do canal de Youtube do projeto, aqui.

«Com o Projeto Mértola Bio Live Cam, o Município de Mértola dá um passo audacioso e inovador na conservação e promoção da biodiversidade. Convidamos todos a explorar e desfrutar desta janela única para a natureza», conclui a autarquia.

 

Conheça mais sobre o projeto aqui:

 

Leia mais um pouco!
 
Uma região forte precisa de uma imprensa forte e, nos dias que correm, a imprensa depende dos seus leitores. Disponibilizamos todos os conteúdos do Sul Infomação gratuitamente, porque acreditamos que não é com barreiras que se aproxima o público do jornalismo responsável e de qualidade. Por isso, o seu contributo é essencial.  
Contribua aqui!

 



Comentários

pub