Centro de Competências em Cibersegurança do Alentejo vai apoiar 194 entidades

Novo Centro de Competências resulta de um consórcio que junta o IPBeja, o IPP e a Universidade de Évora

Um total de 194 entidades vai ser apoiado pelo novo Centro de Competências em Cibersegurança do Alentejo, até Março de 2026, dinamizado por três instituições de ensino superior da região, revelou hoje um dos coordenadores.

O novo Centro de Competências em Cibersegurança do Alentejo (CCCA) resulta de um consórcio que junta os institutos politécnicos de Beja (IPBeja) e de Portalegre (IPP) e a Universidade de Évora (UÉ).

Segundo um dos coordenadores da iniciativa, Rui Silva, do IPBeja, este novo centro «vai ser, certamente, muito importante para toda a região».

O CCCA vai contar com três polos – no IPBeja, no IPP e na UÉ –, tendo como objetivo promover a cibersegurança em organizações da administração pública e em empresas da região, explicou.

O projeto é apresentado publicamente, esta quarta-feira, às 15h00, em Beja, no âmbito da 14.ª edição do SimSic – Simpósio de Segurança Informática e Cibercrime, que vai decorrer na cidade até quinta-feira.

Segundo Rui Silva, docente no IPBeja, o novo CCCA é financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), no âmbito de uma candidatura aprovada ao concurso “C-Networks”, do Centro Nacional de Cibersegurança.

O objetivo é «prestar apoio gratuito a 194 entidades até março de 2026», revelou Rui Silva, explicando que «os critérios para selecionar as entidades a apoiar são, por um lado, a sua relevância para a região e, por outro lado, quem não tenha ainda beneficiado de apoios para a cibersegurança ou para a segurança de informação».

Os núcleos empresariais e as comunidades intermunicipais da região «são os parceiros privilegiados» do centro, que vai prestar apoio em áreas como a cooperação e partilha, a inovação, a capacitação humana ou a capacitação organizacional.

«Penso que esta será a mais importante, porque existem recomendações internacionais que as empresas e as organizações não seguem e este projeto vai permitir, de forma gratuita, dar consciência às empresas e às organizações de qual o seu estado perante estas recomendações», frisou Rui Silva.

Em termos práticos, continuou, o centro vai «produzir relatórios de verificação de conformidades e de análise de risco, para que as empresas e as entidades possam dar continuidade àquilo que são as suas necessidades para mitigar os problemas».

«Não vamos fazer nada operacional, apenas produzir relatórios que sirvam de suporte para os trabalhos» que as entidades terão de fazer, reforçou.

O 14.º SimSic, organizado pelo Laboratório UbiNet do IPBeja, vai decorrer no edifício dos serviços comuns daquele instituto politécnico e tem como tema “Inteligência Artificial e CyberIntelligence”.

Segundo Rui Silva, da organização do evento, esta temática será abordada “nas perspetivas da soberania nacional, das tecnologias informáticas, do direito e da evolução da humanidade”.

O programa do simpósio inclui ainda palestras com diversos especialistas portugueses e estrangeiros, ‘workshops’, desafios, o exercício integral de cibercrime denominado “Casa do Crime” e uma prova de vinhos.

 

Leia mais um pouco!
 
Uma região forte precisa de uma imprensa forte e, nos dias que correm, a imprensa depende dos seus leitores. Disponibilizamos todos os conteúdos do Sul Infomação gratuitamente, porque acreditamos que não é com barreiras que se aproxima o público do jornalismo responsável e de qualidade. Por isso, o seu contributo é essencial.  
Contribua aqui!



Comentários

pub