Parque Mineiro de Aljustrel vai abrir no dia 4 de Dezembro

Primeiros meses vão ser dedicados a visitas da população e entidades locais

O novo Parque Mineiro de Aljustrel, no distrito de Beja, é inaugurado na segunda-feira, 4 de Dezembro, Dia de Santa Bárbara, padroeira dos mineiros, após um investimento de quase seis milhões de euros da câmara municipal que representa um “momento de viragem” na atratividade turística do concelho.

«Este é um projeto que, no nosso entender, constitui uma viragem na oferta turística do concelho», disse hoje à agência Lusa o presidente do município de Aljustrel, Carlos Teles (PS).

Na opinião do autarca alentejano, o Parque Mineiro de Aljustrel, que será simbolicamente inaugurado no Dia de Santa Bárbara, padroeira dos mineiros, «será uma referência em todo o país, tendo potencial para ser tornar num dos pontos turísticos mais interessantes do Baixo Alentejo, nomeadamente na vertente do turismo industrial».

O novo Parque Mineiro de Aljustrel foi criado para ser «uma homenagem aos mineiros» do concelho, onde a atividade extrativa tem mais de 5.000 anos, remontando à época da ocupação romana.

O investimento tem objetivos «de lazer, didáticos e de investigação, ao mesmo tempo que contribui para minimizar a degradação ambiental» associada a antigos locais de exploração.

Por isso, além da requalificação dos bairros mineiros, da construção de ciclovias e da colocação de passadiços na zona do Chapéu de Ferro e da instalação de sinalética e equipamentos multimédia em diversos locais da vila, o projeto do Parque Mineiro incluiu a criação do Centro de Receção e Interpretação.

É neste espaço, instalado junto ao Malacate Viana, um dos antigos «poços de descida ao fundo da mina», que está instalado um espaço museológico.

Será também a partir do Centro de Receção e Interpretação que os visitantes poderão visitar um dos grandes atrativos do Parque Mineiro de Aljustrel, a antiga galeria mineira do Piso 30.

«É uma galeria mineira antiga, que foi totalmente recuperada para receber visitantes e que acaba por ser uma valência que diferencia este projeto de outros que possam ser parecidos», destacou Carlos Teles.

O autarca acrescentou que a galeria cria em Aljustrel «uma diferenciação positiva, que poderá atrair bastantes visitantes nacionais e internacionais».

Segundo o presidente da Câmara Municipal, a galeria do Piso 30 tanto pode atrair «o cliente normal, que vai ver por piada e para mostrar aos filhos», mas também «clientes especializados, como geólogos».

«Todos os geólogos ou estudantes das áreas da geologia e das minas vão ter todo o interesse em visitar Aljustrel e o Parque Mineiro», concluiu.

Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara de Aljustrel revelou que os primeiros meses do Parque Mineiro «vão ser dedicados à população e às entidades locais, com visitas mediante marcação».

O objetivo é, «nesta fase, dar a conhecer esta nova oferta turística, que assenta os seus pilares na preservação do património e da memória, primeiramente à comunidade local», indicou a autarquia.

Depois, em Março de 2024, o município irá fazer, em articulação com a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e o Roteiro de Minas de Portugal, «uma grande apresentação e lançamento» do Parque Mineiro na Bolsa de Turismo de Lisboa.

A autarquia alentejana adiantou também que, no dia de inauguração, o Laboratório Nacional de Energia e Geologia irá fazer, na sala de exposições temporárias do Centro de Receção e Interpretação, a antestreia da “Exposição e montagem em postura de vida do estegossauro de Atouguia da Baleia (Miragaia longicollum)”.

Estudado e classificado como uma nova espécie e género de estegossauro em 2009, trata-se do dinossauro «mais completo descrito em Portugal e que poderá, até Março, ser apreciado em Aljustrel», lê-se na nota.

 

 



Comentários

pub